Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Boulos traz Russomanno para polêmica da vacina

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

Guilherme Boulos (PSOL) não quer deixar o eleitorado esquecer que Celso Russomanno (Republicanos) está ao lado de Jair Bolsonaro, em especial no que concerne ao cuidado com a possível vacina contra o coronavírus. O candidato de esquerda lembrou que Russomano “também comemorou” a suspensão do teste da Coronavac por decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. “Bolsonaro disse hoje que “ganhou” quando conseguiu suspender testes da vacina para uma doença que já matou 160 mil brasileiros. Russomanno também comemorou”, disse Boulos.

Guilherme Boulos. Foto: Daniel Teixeira

“Isso é genocídio em estado puro”, completou. Bolsonaro “comemorou” ao responder uma seguidora dizendo que “ganhou” essa disputa, em especial com João Doria, governador de São Paulo e responsável por firmar a parceria que permite os testes da vacina. Já Russomano, que despenca nas pesquisas de intenção de voto mesmo com o apoio de Bolsonaro, divulgou uma nota apoiando a suspensão, alegando que a Coronavac “está longe de cumprir as estapas obrigatórias para sua aprovação” e que “protegerá a população do estelionato tucano”.

A Coronavac está sendo testada no Brasil e em outros países, como China e Indonésia. Ela está na terceira fase de testes. Ela é considerada pelo presidente do Instituto Butantan, Dima Covas, como a “mais avançada”. O Instituto explicou nessa terça-feira, 10, que a morte do voluntário, justificativa da Anvisa para suspender os testes, não teve relação com o medicamento.