Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BR18 Analisa: Vem aí (mais) um tsunami?

Equipe BR Político

Por Vera Magalhães

Quando não há crise, o governo é bom em fabricar uma. Desta vez Jair Bolsonaro achou por bem insinuar que pode vir um “tsunami” na semana que vem.

Oi? Ninguém entendeu. Falei com ministros, parlamentares, embaixadores, assessores, para tentar uma pista do que poderia ser. Não se sabe nem se o presidente estava se referindo a algo concreto ou apenas conjecturando sobre hipóteses. O que se sabe: definitivamente não é papel do presidente da República causar esse tipo de nervosismo geral. Por sorte não houve grande solavanco no mercado.

No Texas. Se tsunami vier, pode ser que encontre o presidente bem longe. Mais especificamente em Dallas, no Texas, onde Bolsonaro resolveu se refugiar para receber o prêmio de Personalidade do Ano, da Câmara de Comércio Brasil-EUA. Foi um paliativo depois dos protestos de políticos, empresas e instituições de Nova York à sua presença na cidade para receber a láurea. Ele embarca na terça e cumpre agendas na quarta e na quinta-feiras.

Armas. Por aqui, a polêmica provocada pela edição do decreto liberando geral o porte de armas continua. Pareceres das consultorias da Câmara e do Senado apontam várias inconstitucionalidades e ilegalidades na peça editada por Bolsonaro, que parece condenada –ou o próprio governo a altera, como negocia Rodrigo Maia (DEM-RJ), ou são grandes as chances de que caia no Legislativo ou no STF –a ministra Rosa Weber deu cinco dias para Bolsonaro explicar itens da medida.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Bolsonarosergio moro