Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Brasil e Argentina tentam reduzir burocracia para turista chinês

Marcelo de Moraes

Os governos do Brasil e da Argentina estão discutindo adotar resoluções comuns para simplificar a vinda de turistas chineses para os dois países. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro António, recebeu esse semana o embaixador do país vizinho para discutir a possibilidade de cidadãos chineses que tiverem visto para visitar o Brasil possam usar o mesmo documento para ir também até a Argentina e vice-versa. Hoje, os chineses enfrentam uma longa tramitação para conseguir esse visto, que leva de 60 a 90 dias. E o visto nos dois países têm validade apenas por 30 dias. Com isso, o sujeito que atravessou uma enorme distância para visitar Brasil ou Argentina, se quiser estender sua permanência para conhecer o outro país, corre o risco de precisar se deslocar até a embaixada para conseguir esse novo documento.

A ideia é permitir que os chineses tenham suas viagens otimizadas e incentivadas para os dois países. A razão é simples: o turista chinês tem um potencial econômico muito interessante já que gasta, em média US$ 88 por dia no Brasil. Isso é bem superior ao gasto médio do turista estrangeiro em geral no Brasil, que é de US$ 55 por dia. Em 2017, o Brasil teve seu maior fluxo de visitantes chineses desde 2012, recebendo 61.250 pessoas. Essa discussão será encaminhada, agora, pelo Ministério do Turismo para o Ministério de Relações Exteriores. /M.M.

Tudo o que sabemos sobre:

Ministério do TurismoChinesesArgentina