Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Brasil no aguardo do ‘ok’ do EUA para entrar na OCDE

Equipe BR Político

De força de apoio à entrada do Brasil na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), atualmente a oposição dos EUA é o principal obstáculo para que o “negócio” seja fechado. Isso não impede, no entanto, que o País seja visto como parte “da família” OCDE, segundo o secretário-geral da organização, Angel Gurría.

O secretário-geral da OCDE, Angel Gurría.

Angel Gurría. Foto: Michele Tantussi/Reuters

Em entrevista ao Estadão, Gurría diz que não está em questão a existência de um apoio do governo do presidente dos EUA, Donald Trump, ao Brasil, mas sim a maneira como o suporte será sinalizado aos outros países.

Há 10 dias, causou um rebuliço a notícia publicada pela agência de notícias Bloomberg que revelou que, em agosto, o secretário de Estado, Mike Pompeo, enviou carta à OCDE na qual manifesta o apoio dos EUA à entrada da Argentina e da Romênia.

Ele também reconheceu que o Brasil é o país-candidato com maior número de requisitos cumpridos para acessar a OCDE. “O Brasil é o País que tem aderido a maior número de instrumentos da OCDE e que é membro de mais comitês. É muito inteligente da parte do Brasil, o Brasil já é da família. O final do processo vai avaliar todas essas condições e isso vai ajudar o País quando iniciar formalmente a adesão”, disse.

Tudo o que sabemos sobre:

OCDEAngel GurríaEUABrasil