Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Brasil fossilizado

Equipe BR Político

No mesmo dia em que o Brasil ganhou o “prêmio” Fóssil Colossal na COP-25, em Madri, a prestigiosa revista científica Nature incluiu o ex-presidente do Inpe Ricardo Galvão, demitido e humilhado publicamente por Jair Bolsonaro, na lista de cientistas do ano. Os dois fatos, combinados, dizem muito sobre a imagem do Brasil no exterior e os retrocessos do País em questão ambiental e são tema da coluna deste domingo de Eliane Cantanhêde no Estadão.

“Em meio a essa sucessão de vexames, o presidente bateu boca num dia com a ativista adolescente Greta Thunberg – a quem chamou de “pirralha” – e no dia seguinte ela surgiu, toda poderosa, como personagem do ano e da capa da revista Time. O presidente bem poderia ter passado sem mais essa”, escreve ela.