Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Brasil precisa fazer acordo com ele mesmo, diz secretário

Equipe BR Político

O secretário especial de Comércio Exterior, Marcos Troyjo, considera que a participação do governo de Jair Bolsonaro foi decisiva para que o acordo entre Mercosul e União Europeia fosse fechado. Ele faz parte da equipe brasileira em Bruxelas que fechou os últimos pontos do acordo, anunciado na sexta-feira, 28. “O presidente disse: ‘Vamos fazer negócio com todas as partes do mundo sem viés ideológico’. Se tem uma coisa que marcou o Mercosul durante bastante tempo, foi o seu viés ideológico”, afirmou em entrevista à Folha.

Contente com o acordo, o secretário, porém, faz um alerta: o acordo Mercosul-União Europeia só terá sucesso se o Brasil fizer suas reformas internas, entre elas a tributária e a previdenciária. “O grande acordo comercial que o Brasil tem que fazer é com ele mesmo. Se não melhora o ambiente de negócios, se não faz reforma tributária para tirar o ônus de quem está empreendendo, se não vai progressivamente melhorando a capacidade de logística, não dá certo. Com a reforma da Previdência, você diminui o custo de capital, melhora perspectiva, liquidez”, avalia.

Tudo o que sabemos sobre:

Acordo Mercosul e União Europeia