Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Brasil supera EUA em mortes de covid por 100 mil habitantes

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O Brasil superou nesta quarta, 26, os Estados Unidos em número de mortes causadas pelo novo coronavírus por 100 mil habitantes. Em 10º lugar no ranking, são 55,06 óbitos contra 54,18 mortes nos EUA, diz a Universidade Johns Hopkins. San Marino lidera a lista, com 124,32 mortes a cada 100 mil habitantes, seguido da Bélgica (87,51), Peru (86,48), Andorra (68,83) e Reino Unido (62,44). Agora, o Brasil está próximo dos números da Suécia (57,08) e Itália (58,65).

Epicentro da doença no País, São Paulo concentra o maior número total de casos e óbitos por covid-19. Foto: Alex Silva / Estadão

O cientista Paulo Lotufo, epidemiologista da USP, alertou ao Estadão que a comparação com outros países tem de ser feita com cautela por causa dos momentos diferentes que cada um atravessa no enfrentamento da pandemia. Enquanto na Europa as curvas apontam para uma queda significativa do número de casos e mortes, o Brasil ainda enfrenta uma situação difícil, com média de cerca de mil mortes registradas por dia. “Bélgica, Itália e Suécia já retornaram à normalidade. Por outro lado, Brasil, Índia, EUA e México têm movimento ascendente de mortes”, exemplifica. “Por isso, não dá para comparar”, avalia.

Na semana passada, a pandemia parecia dar os primeiros indícios de desaceleração no Brasil. De acordo com dados do centro de controle de epidemias do Imperial College London, a taxa de contágio (Rt) no país foi de 0,98, número que indica para quantas pessoas um paciente infectado consegue transmitir o novo coronavírus. O dado significa que 100 pessoas contaminadas contagiam outras 98 que, por sua vez, passam a doença para outras 96 e assim sucessivamente. Nesta semana, no entanto, o índice voltou para 1, o que indica que o momento de desaceleração não se manteve por duas semanas seguidas.

 

Tudo o que sabemos sobre:

covidBrasilEUA