por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Bretas testa limites de decisão do STF

Vera Magalhães

A ordem de prisão do juiz Marcelo Bretas, da Lava Jato no Rio, contra Michel Temer e três aliados, testa os limites do entendimento do STF, manifestado em julgamento encerrado na semana passada, quanto à instância judicial para julgar crimes correlatos aos eleitorais.

Em sua delação, José Antunes Sobrinho, dono da Engevix, diz ter repassado R$ 1 milhão à Argeplan, empresa do coronel Lima, como forma de disfarçar uma doação eleitoral ao então PMDB. Se fosse ser aplicada estritamente a decisão do STF, o caso deveria ir para a Justiça Eleitoral? A dúvida deverá ser dirimida pelo próprio Supremo, porque esta será uma das linhas da defesa dos presos. / V.M.