Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP estreia hoje série de entrevistas com candidato do PT nas eleições

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O BR Político estreia nesta tarde de quinta, 8, às 17h, sua série de entrevista com candidatos e candidatas a prefeituras de algumas capitais do País. O convidado de hoje é Jilmar Tatto, candidato à Prefeitura de São Paulo pelo Partido dos Trabalhadores. A entrevista será transmitida pelos canais do BRP nas redes sociais.

Segundo recente pesquisa Ibope divulgada no dia 2 pelo Estadão, o ex-deputado federal aparece com 1% das intenções de voto, atrás de Vera Lúcia, do PSTU, citada por 2% dos entrevistados. Ao lado do petista estão Joice Hasselmann (PSL), Andrea Matarazzo (PSD), Orlando Silva (PCdoB), Antônio Carlos (PCO), Levy Fidelix (PRTB), Arthur do Val (Patriota) e Marina Helou(Rede), todos com 1%.

A pesquisa também identificou que o antipetismo supera o petismo como força política na cidade de São Paulo. Trinta e seis por cento dos moradores não votariam de jeito nenhum no partido – mas, paradoxalmente, a legenda também é a que tem mais simpatizantes na capital (23%), o que significa potencial de crescimento.

Os antipetistas se concentram mais nas áreas não periféricas da cidade, onde a renda e os níveis de escolaridade são maiores. Quase metade (44%) dos eleitores que se definem como brancos não votariam de jeito nenhum no partido do ex-presidente Lula. Já entre os negros, essa taxa cai para 29%. Na divisão do eleitorado por religião, os evangélicos são marcadamente mais antipetistas que os católicos. No primeiro grupo, 45% rejeitam a hipótese de votar no PT. No segundo, são 34%.

O ex-prefeito Fernando Haddad era o preferido de Lula, pois se acreditava que ele teria um recall importante tendo disputado a eleição presidencial, mas ele decidiu não participar da disputa municipal e se guardar para a eleição presidencial de 2022.

O candidato tem dito que seu maior desafio é se fazer conhecido do eleitorado. Para isso, aposta na propaganda eleitoral com a participação de Lula para tentar reverter o quadro. Tatto costuma citar como exemplo a caminhada iniciada por Haddad com 2% no início da campanha municipal, em 2012, até obter a vitória. “Quando souberem que eu sou o candidato do Lula”, disse recentemente, sua popularidade poderia subir.

O candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Jilmar Tatto

O candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Jilmar Tatto

Tudo o que sabemos sobre:

Jilmar Tattoeleiçõesentrevista