Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: o que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Editorial do Estadão desta segunda-feira, 25, lança luz para a politicagem que envolve a renda básica emergencial em momento de calamidade pública como o que estamos vivendo. “O establishment político já calcula os prováveis ganhos eleitorais advindos do pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 para os trabalhadores informais que perderam renda em razão da pandemia de covid-19. Como sempre, esse cálculo ignora as tremendas restrições fiscais do País e, sobretudo, trata a crônica desigualdade de renda como oportunidade para cultivar clientes entre os mais pobres.”

Também trata sobre como a pandemia tem atingido o setor industrial. “Pisos históricos já haviam sido atingidos em março, quando o setor foi atingido pelos primeiros impactos econômicos da pandemia, mas aquele foi apenas o começo de um desastre sem precedente. Essa nova sondagem reforça as projeções do mercado e de economistas do governo. A economia brasileira poderá contrair-se mais que 5% neste ano, admitiu o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida. A última estimativa apresentada oficialmente pelo Ministério da Economia, poucos dias antes, indicava uma redução de 4,7%.”

Por fim, aborda um dos temas mais importantes do ano: o possível adiamento das eleições municipais. “É oportuno que o tema seja avaliado e debatido, tendo em vista tanto a gravidade do quadro sanitário do País como o fato de que todo o processo eleitoral – as convenções partidárias, a campanha eleitoral e os dias de votação – envolve, em alguma medida, circulação e movimentação de pessoas, com efeitos sobre a transmissão do novo coronavírus.”