Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: O que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Editorial do Estadão deste sábado, 30, comenta o resultado do PIB do primeiro trimestre do Brasil. “Vai piorar, antes de melhorar. O aviso sinistro vale igualmente para a economia e para a saúde. O primeiro impacto da pandemia, com isolamento social, consumo retraído e produção travada, ocorreu em março, mas o novo desastre econômico já é atribuído ao novo coronavírus. No primeiro trimestre o Produto Interno Bruto (PIB) foi 1,5% menor que nos três meses finais de 2019, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O balanço do segundo trimestre será ainda mais negativo, advertiu em nota o Ministério da Economia. Se as bolas de cristal estiverem bem reguladas, os números finais do ano serão muito mais feios que aqueles conhecidos até agora. O governo já admitiu uma contração econômica de 4,7% em 2020, mas circulam estimativas bem mais sombrias.”

O jornal também trata de desmistificar um dos “mitos” do bolsonarismo: de que Jair Bolsonaro representaria com seus arrombos a “vontade popular”. “Ainda que entusiasme os camisas pardas, esse discurso está muito distante da realidade. Na verdade, há algum tempo a maioria da população desaprova o modo como Jair Bolsonaro governa. A maioria não está ao seu lado, como indica, entre outras sondagens, a última pesquisa do Datafolha, realizada nos dias 25 e 26 de maio.”

Em outro editorial, o jornal trata das recentes ameaças da China contra Hong Kong. “Enquanto o resto do mundo combate a pandemia, a China realizou sua manobra mais truculenta contra a autonomia de Hong Kong e Taiwan. No dia 20, o Congresso do Povo anunciou planos navais de assalto a uma ilha controlada por Taiwan e aprovou uma moção para uma nova lei de segurança em Hong Kong que, na prática, desmantelará o modelo ‘um país, dois sistemas’.”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão