Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: o que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Editorial do Estadão deste domingo, 31, aborda a importância da solidariedade em nossa sociedade em tempos de pandemia. “As doações de empresas e indivíduos para financiar o esforço no combate à pandemia de covid-19 já superaram R$ 3 bilhões. É uma cifra formidável – equivale a mais de um ano de investimento privado em filantropia no Brasil, segundo dados do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). Dessa forma, a elite nacional exibe notável senso de solidariedade em relação aos milhões de cidadãos brasileiros que viram sua renda, já muito baixa, desaparecer em razão dos efeitos econômicos da pandemia e que por isso dependem de ajuda para sobreviver, não só ao coronavírus, mas à miséria.”

Também aborda a escalada de desmatamento na Mata Atlântica. “Em termos de volume de desmatamento, mais uma vez o Estado campeão foi Minas Gerais, que teve uma perda de quase 5.000 hectares. Em segundo lugar ficou a Bahia, com 3.532 hectares, seguida pelo Paraná, com 2.762 hectares. Em relação ao aumento do desflorestamento, o pior desempenho foi o da Bahia, com um crescimento de 78%; depois Minas Gerais, com 47%; e Paraná, com 35%.”

E aponta o presidente Jair Bolsonaro como um criador de crises. ” discurso é de que seu governo enfrenta uma descomunal resistência por parte dos outros Poderes, da esquerda, da academia, da imprensa, dos organismos internacionais e de todos os que não estão de acordo com sua pauta “conservadora”. Tal perseguição seria a causa das muitas crises que o seu governo tem enfrentado. Ainda que amplamente difundida por seus robôs e apoiadores, essa retórica não tem nenhum fundamento na realidade. As crises, que com razão trazem crescente preocupação aos brasileiros, foram e são causadas apenas e tão somente por Jair Bolsonaro. É ele que deliberadamente tem insistido em produzir, a cada semana, uma nova instabilidade, uma nova fonte de atrito com todos os que não se dispõem a prestar-lhe vassalagem.”