Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: o que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Editorial do Estadão desta segunda-feira, 22, aborda a situação dos estudantes brasileiros em meio à pandemia. “Além de expor velhas fragilidades do sistema de ensino brasileiro, a pandemia do novo coronavírus agregou novos desafios às crianças e adolescentes. Segundo estimativa da Unicef, 35 milhões de jovens no País estão fora das salas de aula em razão das restrições de circulação de pessoas impostas para diminuir a taxa de expansão do novo coronavírus. Ainda que seja uma empreitada difícil, dadas as limitações de diversas ordens, é uma exigência de justiça com o País, muito especialmente com as novas gerações, assegurar, nas atuais condições de isolamento social, um mínimo de continuidade ao processo educativo desses jovens, em seus respectivos níveis de ensino.”

Também trata da renegociação de dívidas tributárias de empresas e pessoas físicas que tiveram suas finanças abaladas no período da crise da covid-19. “Embora por seus objetivos explícitos tenha semelhança com programas anteriores de renegociação de débitos tributários aprovados pelo Congresso – conhecidos como Refis e que ofereceram vantagens exageradas a contribuintes inadimplentes com o Fisco, entre os quais contumazes devedores -, o novo programa tem regras claras que limitam seu alcance e um objetivo político não explícito que o torna essencialmente diferente dos anteriores.”

E defende serenidade nos debates sobre possível adiamento das eleições municipais deste ano. “Transformar o tema em objeto de barganha política seria claro desserviço ao País, trazendo insegurança sobre um tema que exige justamente regras claras, definidas com a máxima antecedência possível.”