Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: O que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Nesta terça-feira, 22, editorial do Estadão questiona a tentativa de Jair Bolsonaro de “pacificar” sua relação com o STF. “Bolsonaro parece, mais uma vez, confundir as coisas. Talvez imagine que seus dissabores no Judiciário tenham sido motivados por ressentimento dos magistrados diante dos constantes reptos que há tempos lança contra o Supremo – inspirando inclusive seus seguidores e até um ministro de Estado a defender explicitamente o fechamento da Corte e a prisão de seus ministros.”

O jornal também trata das dificuldades do presidente norte-americano, Donald Trump, em sua disputa pela reeleição dos EUA. “É muito cedo para dizer se Trump, de fato, está ou não disposto a exercer mais um mandato presidencial. Além do mais, até que ele mesmo verbalize qual o seu estado de espírito, tudo não passa de especulação. Fato é que, se Trump precisava de um estímulo, a retomada de sua campanha eleitoral no sábado passado teve efeito diametralmente oposto. Pouco mais de 6 mil lugares foram ocupados no estádio com capacidade para 19 mil na cidade de Tulsa, em Oklahoma. A desoladora imensidão de cadeiras vazias se sobrepôs aos poucos milhares que assistiram ao discurso de Trump, compondo o cenário bem-acabado de um presidente cercado apenas por um nicho de apoiadores mais sectários.”

O jornal pondera ainda sobre os vários pedidos de impeachment de Jair Bolsonaro. “As muitas e graves consequências da abertura de um processo de impeachment contra o presidente da República requerem especial prudência na ponderação das condições jurídicas e políticas desses pedidos. Até aqui, só um pedido foi arquivado. Todos os outros estão sob análise do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a quem compete decidir o seu destino imediato – arquivamento da denúncia ou recebimento para apreciação pela Casa.”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão