Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: O que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Nesta quinta-feira, 8, editorial do Estadão trata das reações negativas sobre Jair Bolsonaro após o presidente ter contraído coronavírus. “Num Estado Democrático de Direito, a oposição política, por mais ferrenha que possa ser, nunca almeja ou propõe a aniquilação do adversário. Assim, diante da notícia de que o presidente Jair Bolsonaro contraiu a covid-19, não há opção civilizada a não ser desejar o seu pronto restabelecimento, com votos de que tenha os menores e mais leves sintomas possíveis. Tal atitude não é um favor ou privilégio que se concede ao presidente da República, mas a única reação minimamente humana diante da doença de outro ser humano.”

O jornal trata também da fala do futuro presidente do STF, Luiz Fux, sobre sua relação com o Congresso Nacional. Em uma “live” na internet, Fux disse que “a instância hegemônica encarregada de resolver os problemas políticos é o Poder Legislativo”.  “O futuro presidente do Supremo está certo. Há muito tempo, todas as vezes em que há um impasse entre o Executivo e o Legislativo a mais alta Corte do País é chamada a arbitrar, o que quase sempre resulta em alguma tensão institucional. E, todas as vezes em que as lideranças partidárias não conseguem resolver elas próprias eventuais impasses políticos, elas também recorrem aos tribunais superiores.”

Em terceiro editorial, o jornal trata da saída dos EUA da OMS. “O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, segue firme em seu propósito de desmantelar sistematicamente a ordem global fundamentada na democracia liberal e na cooperação entre as nações. Este arranjo geopolítico, não obstante suas crises, garantiu o mais estável período de prosperidade e de relativa paz na história recente. A liderança dos Estados Unidos neste processo, ao menos para o mundo ocidental, jamais havia sido posta à prova até novembro de 2016, quando Trump foi eleito presidente e mudou de forma radical o posicionamento de seu país no cenário internacional.”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão