Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: O que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Neste sábado, 11, o Estadão discute a pressão que o governo vem sofrendo por causa de sua política ambiental. “O governo está pressionado por todos os lados pela questão ambiental. Governantes ameaçam bloquear tratados, investidores ameaçam boicotes, empresários pedem medidas urgentes, cientistas denunciam a degradação do bioma, ex-ministros do Meio Ambiente reprovam o desmonte da pasta e manifestantes em todo o mundo acusam o Brasil de se tornar um pária ambiental. O surpreendente é que só depende do governo “virar a chave” e catalisar essa energia em cooperação. Mas, a julgar pela reunião do Conselho da Amazônia com investidores internacionais, isso não acontecerá.”

Um ponto positivo apontado pela publicação são os sinais dados pelo varejo e pela indústria. Apesar dos dados sobre emprego continuarem preocupando. “Os sinais vitais da indústria e do comércio melhoram de forma disseminada, em quase todos os segmentos da produção e do varejo e na maior parte do País. A amplitude da reação depois do tombo de abril é o detalhe mais animador dos últimos dados setoriais. O mais sombrio, naturalmente, é a piora das condições de emprego. A desocupação e a subutilização da mão de obra já eram muito altas no começo do ano, antes da recessão ocasionada pela pandemia. O presidente e sua equipe jamais haviam mostrado preocupação com o problema até o surgimento da nova crise.”

O jornal também enaltece os resultados das universidades públicas, mesmo tendo sido achincalhadas por aliados e Jair Bolsonaro. “Meses após ter sido acusada por grupos bolsonaristas de estar alinhada a posições de esquerda e de ser objeto de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) aberta na Assembleia Legislativa por iniciativa de deputados próximos de um dos filhos do presidente Jair Bolsonaro, e que resultou num relatório pífio, a Universidade de São Paulo (USP) obteve duas láureas internacionais. Elas não apenas calam os críticos da USP e das demais universidades públicas do País, como dão a medida de seu despreparo e desonestidade intelectual.”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão