Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: o que dizem os editoriais

Equipe BR Político

O editorial do Estadão deste sábado, 25, aborda o aniversário de 466 anos de São Paulo, uma cidade com seus perversos contrastes da desigualdade que há séculos nos mantém aferrados ao atraso. “Um relatório elaborado no final do ano passado pela ONG Rede Nossa São Paulo expôs essas fraturas. Um de seus principais achados foi a relação estabelecida entre a desigualdade econômica e a desigualdade racial. Os distritos mais pobres da capital paulista concentram o maior porcentual da população de pretos e pardos. A maior taxa de emprego formal por dez habitantes participantes da População em Idade Ativa (PIA) que consta do Mapa da Desigualdade é a do distrito da Barra Funda (59,24%). Já o porcentual de pretos e pardos moradores do distrito da zona oeste é de apenas 15,71%. Em Jardim Ângela, distrito da zona sul, 60,11% dos moradores são pretos ou pardos e apenas 0,5% deles têm empregos formais.”

Também analisa o volátil pacto de países europeus com o Irã. “Os europeus garantem que não aderiram à “pressão máxima” de Trump e não querem abandonar o pacto. A solução por meio do mecanismo formal, contudo, é incerta – o Irã já ignorou várias solicitações europeias antes. O premiê britânico, Boris Johnson, sugeriu iniciar negociações para um novo pacto, satisfatório a Trump, o qual por sua vez afirmou que isso permitiria ao Irã “prosperar, servindo-se de seu enorme potencial inexplorado”. Mas, em se tratando de Trump, quem pode saber o que será satisfatório?”

O terceiro editorial analisa a Lei 13.954/19, que dispõe sobre a reforma da Previdência dos militares, além de reestruturar as carreiras militares. “Segundo levantamento do Estado/Broadcast, 15 Estados optaram por estender o cronograma até o limite máximo de 31 de dezembro de 2021, ou seja, as regras mais duras só valerão em 1.º de janeiro de 2022. Os Estados são Acre, Alagoas, Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e Tocantins. Em São Paulo, o governador João Doria adiou a vigência das novas regras para policiais militares e bombeiros por um ano. As novas regras passarão a valer em 1.º de janeiro de 2021. Tal situação é um contrassenso.”

 

Tudo o que sabemos sobre:

IraprevidênciaSão Paulo