Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: O que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Nesta quinta-feira, 6, o Estadão discute em seu primeiro editorial as pressões fiscais que surgem sobre a Educação brasileira ante a pandemia de coronavírus. “No cenário de incertezas da pandemia um dos dramas mais angustiantes é o da educação. ‘Enquanto o mundo enfrenta níveis insustentáveis de desigualdade, nós precisamos da educação – o grande equalizador – mais do que nunca’, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres. Mas também é preciso proteger as crianças, os professores e suas famílias, e ninguém encontrou a equação certa para promover o retorno às aulas.”

O segundo editorial da publicação trata de um “novo contrato social” que deverá surgir entre Estado e mercado. “Ao expor até a raiz as divisões e desigualdades do mundo contemporâneo, a crise global precipitada pela covid-19 despertou questionamentos fundamentais sobre a natureza da globalização, seus efeitos e seu futuro. Instituições como o Fórum Econômico Mundial pregam um “grande reinício do capitalismo” e vozes centenárias do livre mercado falam em ‘revolução na política econômica'(The Economist) e ‘reformas radicais’ (Financial Times) rumo a um novo contrato social.”

A explosão que atingiu Beirute, capital do Líbano, é comentada em terceiro editorial. “A negligência de autoridades libanesas pode ter feito o que nem a guerra civil do Líbano fez em 15 anos (1975-1990): destruir metade de Beirute, uma das mais belas capitais do Oriente Médio, em questão de segundos. Ao menos duas grandes explosões ocorreram na região portuária da cidade na tarde de terça-feira passada. A última, devastadora, obliterou o porto da capital libanesa e provocou uma onda de choque que destruiu tudo o que encontrou pela frente em um raio de aproximadamente 20 km. Há relatos de cipriotas que ouviram o barulho das explosões. O Chipre está a cerca de 230 km ao noroeste de Beirute, o que dá a dimensão do horror que a população local sofreu.”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão