Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: O que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O Estadão deste sábado, 8, traz um debate sobre o desafio de suplementar a cultura da liberdade com a da responsabilidade. “Ao longo dos séculos, a cidadania foi construída a partir de sucessivas composições e recomposições de dois ideais. De um lado, a cidadania é intimamente ligada à ideia da distribuição de direitos e garantias individuais comuns aos membros de uma comunidade política. De outro, ela é entendida como uma participação ativa nesta comunidade. A cidadania é tanto uma estrutura legal que garante o pleno pertencimento a uma comunidade como uma atividade desejável cuja extensão e qualidade dependem do engajamento dos membros desta comunidade.”

O jornal também comenta a retomada da indústria em ritmo lento. “Dois meses de forte expansão – 8,2% em maio e 8,9% em junho – foram insuficientes para levar a produção industrial de volta ao patamar de fevereiro. Apesar da ampla reativação, liderada pelo setor automobilístico, a indústria fechou o primeiro semestre sem ter conseguido eliminar a queda de 26,6% acumulada em março-abril.”

Em terceiro editorial, o Estadão comenta sobre a tragédia das omissões ante a pandemia de coronavírus. “Há cerca de um mês e meio, este jornal lamentava nesta página o fato de o País ter atingido a marca de 50 mil mortes por covid-19 (ver editorial Lições de uma tragédia, publicado em 21/6/2020). Pior do que a dor causada por tantas perdas de vidas, histórias e possibilidades, um prejuízo incalculável para o Brasil, era a constatação, já àquela altura, de que um novo marco lúgubre era questão de tempo, só não se sabia quanto. Pois agora passamos das 100 mil mortes ocasionadas pelo novo coronavírus e, mais uma vez, nada assegura que outras 50 mil vidas, ou mais, não serão perdidas em um futuro próximo.”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão