Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: O que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Nesta quarta-feira, 19, o Estadão comenta sobre a “abertura de jogo” que Jair Bolsonaro fez sobre a disptua pelo Orçamento ao desabafar com uma simpatizante. “A seu modo, o presidente tornou pública a costumeira disputa anual por espaço no Orçamento da União, cuja proposta tem de ser enviada ao Congresso até o dia 31 deste mês. É portanto neste momento que cada Ministério expõe suas necessidades e reivindica recursos para atendê-las, cabendo à equipe econômica organizar essas demandas conforme a receita esperada e dentro do que o presidente da República determinar como prioridade. Mesmo depois de aprovado, o Orçamento ainda pode sofrer contingenciamento de verbas, em razão de frustração de receitas.”

O jornal comenta em segundo editorial sobre o combate ao crime organizado no Estado  de São Paulo. “São alarmantes os sinais de que facções criminosas estão diversificando seus negócios e se infiltrando no poder público. Como mostrou reportagem do Estado sobre uma investigação da Polícia Civil de São Paulo, o Primeiro Comando da Capital (PCC) dominou o setor de saúde e coleta de lixo de Arujá, na Grande São Paulo, com métodos que se assemelham cada vez mais aos da máfia.”

Em terceiro texto desta quarta-feira, o desafio de conciliar as contas públicas com as ambições eleitorais é disutido. “Com 12,9 milhões de desempregados e 28 milhões de pessoas fora da força de trabalho, mas dizendo-se interessadas em trabalhar, o Brasil tem uma longa subida para sair do buraco onde caiu na crise da covid-19. No segundo trimestre a economia caiu 8,7% em relação ao primeiro e ficou 10,5% abaixo do nível de um ano antes, segundo o Monitor do PIB – FGV, elaborado mensalmente pela Fundação Getúlio Vargas. Divulgado alguns dias antes, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) havia apontado uma perda de 10,3% em relação ao primeiro trimestre. O tamanho do tombo será informado oficialmente em 1.º de setembro, quando o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciar o Produto Interno Bruto (PIB) do período abril-junho. A estimativa da FGV é a mais detalhada e geralmente bem próxima da oficial.”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão