Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: o que dizem os editoriais

Equipe BR Político

O editorial do Estadão nesta terça, 28, fala da urgência da PEC Emergencial. “Um governo consciente de sua responsabilidade diante do iminente colapso da máquina pública teria colocado a PEC Emergencial em primeiro lugar na sua lista de prioridades. Sem ela, não será possível discutir nenhuma outra reforma no curto prazo. A PEC estabelece uma série de limites ao funcionalismo público para permitir o corte de gastos obrigatórios, interrompendo a escalada dessas despesas, hoje a principal ameaça ao cumprimento do teto determinado pela Emenda Constitucional 95.”

Em outro editorial, o jornal analisa os novos acordos comerciais assinados entre Brasil e Índia. “A dimensão econômica do elo entre o Brasil e a Índia não pode ser diminuída, evidentemente. Mas tampouco deve ser o único – ou o principal – olhar sobre a aproximação promovida por Jair Bolsonaro e Narendra Modi. Brasil e Índia estão entre as cinco maiores democracias eleitorais do mundo (a Índia é a maior, com 1,4 bilhão de habitantes). Isto não quer dizer que os dois líderes sejam devotos fervorosos dos valores democráticos.”

O Estadão ainda aborda a presença das milícias no coração do Estado. “Contudo, evidências comprovam que as milícias, muito além da segurança pública, ameaçam hoje os próprios alicerces do Estado Democrático de Direito brasileiro. Ou o poder público, em todas as suas instâncias, mobiliza uma repressão generalizada e implacável ou pedaços inteiros da máquina pública serão sequestrados por mãos encharcadas de sangue.”

Tudo o que sabemos sobre:

milíciaPec emergencialÍndia