Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: O que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Nesta terça-feira, 1, editorial do Estadão trata da “disputa” entre as necessidades da economia ante a pandemia e a ânsia por reeleição de Jair Bolsonaro. “Com um buraco de R$ 505,38 bilhões até julho, o governo central já contabilizou quatro vezes o déficit primário inicialmente previsto para o ano, de R$ 124,10 bilhões. A crise do coronavírus derrubou a arrecadação e forçou gastos excepcionais para combater a pandemia e seus efeitos econômicos e sociais. Um orçamento de guerra autorizado pelo Congresso valerá até dezembro. Estará próximo de R$ 800 bilhões, no fim do ano, o rombo primário do poder central, segundo o Ministério da Economia. Essa projeção será superada, se o Tesouro tiver de atender ministros gastadores, aliados fisiológicos e aos objetivos eleitorais do presidente Jair Bolsonaro.”

A questão orçamentária também é tema de segundo editorial. “O dinheiro disponível para os gastos públicos não é infinito. É isso o que diz o Orçamento. Lá está a previsão de todas as despesas e receitas do governo federal, e cabe a cada Ministério planejar e executar a parte que lhe cabe. Não é tarefa de ministros questionar publicamente as incipientes bases orçamentárias nem, muito menos, anunciar a paralisação de atividades essenciais de suas pastas em razão de eventual corte de verbas. Sua obrigação é fazer o melhor possível com os recursos disponíveis – e, caso não se sintam à altura do desafio, há sempre o caminho do pedido de demissão.”

O jornal também discute a situação do afastamento de Wilson Witzel do cargo de governador do Rio. “Para garantir a aplicação da lei penal, preservar a investigação ou evitar a prática de infrações penais, o Código de Processo Penal autoriza que o juiz aplique algumas medidas cautelares. A Lei 12.403/2011 definiu nove medidas diversas da prisão; por exemplo, a monitoração eletrônica, a proibição de contato com alguma pessoa determinada ou mesmo a ‘suspensão do exercício de função pública ou de atividade de natureza econômica ou financeira quando houver justo receio de sua utilização para a prática de infrações penais’ (art. 319, VI do Código de Processo Penal).”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão