Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: O que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O aparentem descaso de Jair Bolsonaro com a obrigatoriedade das vacinas é tema de editorial do Estadão desta quinta-feira, 3. “O presidente Jair Bolsonaro alargou os limites do seu descaso pela saúde pública, já bastante elásticos, ao ensejar uma campanha contra uma vacina que ainda não existe. Diante de um grupo de apoiadores que o aguardavam na entrada do Palácio da Alvorada na noite de segunda-feira passada, Bolsonaro disse que ‘ninguém pode obrigar ninguém a tomar vacina’. Esta foi a resposta do presidente a uma senhora que lhe pedira para ‘não deixar fazer esse negócio de vacina, não’, pois “isso é perigoso”. O “perigo”, no caso, é a vacina contra o novo coronavírus, a última esperança de bilhões de pessoas no mundo inteiro para acabar com uma pandemia que já matou 850 mil pessoas nos cinco continentes, mais de 122 mil no Brasil. É um descalabro.”

A situação da Argentina ante as recentes decisões do presidente Alberto Fernández é tema de discussão pelo jornal. “Ao aprovar o projeto de reforma do Poder Judiciário proposto pelo governo do presidente Alberto Fernández com o objetivo de criar novos tribunais criminais em Buenos Aires, 60 tribunais federais no interior do país, novas câmaras de apelação e uma reforma na Suprema Corte, o Senado argentino, controlado pelo peronismo, deu uma amostra do avanço do que hoje se denomina democracias iliberais. Ao justificar o projeto, Fernández alegou que a Justiça de seu país precisava ser ampliada para aumentar a ‘capacidade de decidir casos com relevância institucional e, consequentemente, midiática’. Para ser aprovado em caráter definitivo, o projeto ainda precisa ser aprovado pela Câmara dos Deputados.”

A balança comercial é tema de terceiro editorial. “Com US$ 6,6 bilhões de superávit em agosto, recorde para o mês, e US$ 36,6 bilhões de saldo acumulado em 2020, a balança comercial continua no azul, garantindo a segurança externa da economia brasileira. Tudo bem? Nem tanto. Vários dos principais problemas econômicos do Brasil são cada vez mais visíveis no comércio exterior. Se o ministro da Economia, Paulo Guedes, olhar com alguma atenção a pauta de exportações, ali encontrará dados importantes para outra pauta, a de reformas, e para uma estratégia de retorno ao desenvolvimento. Não apenas para a retomada do crescimento, mas do desenvolvimento. Isso inclui modernização, continuado aumento do potencial produtivo e criação de oportunidades e perspectivas para todos os brasileiros.”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão