Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: O que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Nesta quarta-feira, 9, o Estadão aproveita a recente declaração de Fernando Henrique Cardoso, fazendo um mea culpa por ter aprovado a reeleição, para comentar como isso atrapalha. “O fenômeno é perverso com o eleitor e com o interesse público. O governante nem mesmo começou a realizar o que prometeu fazer na campanha eleitoral e já está de olho nas próximas eleições. O instituto da reeleição, que era a oportunidade de um maior compromisso com o eleitor, vem-se tornando, por mais paradoxal que possa ser, incentivo para o descarte quase instantâneo das promessas eleitorais. O poder não é mais um meio para realizar o que se anunciou na campanha, e sim mera busca de sua continuidade.”

O jornal também comenta o estudo Education at Glance, promovido há muitos anos pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), e que trata dos impactos do covid-19 na Educação. “No caso do Brasil, o estudo revela que os mais afetados foram os alunos da rede pública de ensino básico, onde estudam 80% dos jovens desse ciclo educacional. Por isso, diz o secretário-geral da entidade, Angel Gurría, a pandemia aprofundará ainda mais não apenas a desigualdade socioeconômica dentro do País, como, igualmente, a desigualdade do Brasil em relação às economias mais avançadas.”

A discussão do Congresso, de anistiar R$ 1 bilhão em dívidas de igrejas, é tema de terceiro editorial. “O Congresso, quem diria, demonstrou estar descolado da realidade do País ao aprovar um projeto de lei que anistia R$ 1 bilhão em débitos tributários das igrejas. Trata-se de um despropósito. Já seria inconcebível ainda que o Brasil não estivesse atravessando uma tempestade perfeita, uma crise que combina emergência sanitária, recessão econômica e alta vulnerabilidade social. Quando contraposta às prioridades ditadas por tantas condições adversas, é ainda mais escandalosa essa demonstração de absoluto descaso com o interesse público.”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão