Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: O que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Neste sábado, 3, o Estadão revela que não espera muita coisa do governo de Jair Bolsonaro até o final do mandato do presidente. “De um governo se espera que governe, ou seja, que dê uma direção à administração, com planos bem definidos e disposição de negociar com o Congresso sua implementação. Do atual governo, contudo, a conclusão, perto da metade do mandato de Jair Bolsonaro, é que seria esperar demais que ele se dedicasse à faina.”

A falta de perspectiva de investimento privado no Brasil é tema de segundo editorial. “Presente e futuro da economia são afetados pela queda do investimento produtivo, um dos efeitos mais notórios da pandemia. Com a redução da atividade, as empresas perderam receita, a insegurança aumentou e as finanças públicas ficaram muito mais apertadas. Uma das consequências foi a menor aplicação de recursos em máquinas, equipamentos e obras civis e de infraestrutura. Isso se refletiu, de imediato, em maior redução de encomendas à indústria e em perda de milhares de empregos.”

Ainda há espaço para tratar da trágica política ambiental do governo federal. “Na esfera ambiental, é difícil saber qual é a batalha mais feroz: se contra as motosserras e as chamas ou se contra a mentira e a demagogia. O fato é que o Brasil está perdendo feio em ambas. Em dois discursos na ONU, por ocasião da Assembleia-Geral e da Cúpula de Biodiversidade, o presidente Jair Bolsonaro aludiu a algumas verdades. O Brasil é um exemplo de preservação, com cerca de 2/3 do território coberto por vegetação nativa. Sua legislação, a começar pelo Código Florestal, é das mais avançadas, determinando, entre outras coisas, que os proprietários na Amazônia são obrigados a preservar por conta própria 80% de suas terras.”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão