Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: O que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Neste sábado, 24, o Estadão comenta em seu editorial sobre o fato de que Jair Bolsonaro parece mais interessado na sua reeleição do que na crescente dívida pública brasileira. “Ganhar confiança de credores e investidores é hoje um dos principais desafios para o governo, forçado a administrar uma dívida crescente numa fase de enormes dificuldades. Antes da pandemia o Brasil já era o campeão do endividamento público entre os emergentes. Forçado a buscar mais empréstimos neste ano, o Tesouro aceitou prazos menores para evitar juros mais altos. Com grandes vencimentos no início de 2021, o Executivo terá de correr atrás de dinheiro e ao mesmo tempo tentar alongar os prazos e conter os custos. A resposta do mercado vai depender de um claro compromisso com a arrumação das finanças oficiais, com um programa de ajuste bem definido.”

O jornal trata também dos desafios da tributação com um sistema econômico globalizado. “Há anos a comunidade internacional vem enfrentando os desafios da digitalização da economia. Tradicionalmente, a fim de evitar a dupla tributação, as empresas recolhem impostos no país onde têm residência legal. Mas hoje muitas corporações oferecem serviços online por todo o mundo e podem alterar sua residência para jurisdições de baixa tributação (“paraísos fiscais”) com o toque de um botão. Assim, proliferam as oportunidades de dupla “não tributação”.”

O jornal também trata ta proposta de reforma tributária apresentada pela CNI. “O Brasil só voltará a crescer com vigor e de forma sustentada com um sistema tributário ‘mais simples, sem cumulatividade e alinhado com as boas práticas internacionais’, disse o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, ao comentar o novo Informe Conjuntural publicado pela organização. Isso é o oposto da CPMF, defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Esse é o mais cumulativo dos tributos: onera qualquer transferência de dinheiro, ligada à produção, ao consumo, a operações financeiras, a salários, lucros, aluguéis e doações a entidades filantrópicas.”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão