Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: O que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Com Jair Bolsonaro prestes a completar dois anos de mandato, o Estadão desta terça-feira, 22, trata das opções que o presidente tem ante a crise no País. “Próximo a completar dois anos, o governo de Jair Bolsonaro tem diante de si enormes desafios. O País atravessa uma forte crise social, econômica e sanitária, agravada por uma situação fiscal muito difícil e um cenário político fragmentado e conturbado. Além disso, as oportunidades perdidas e as confusões criadas ao longo da primeira metade do mandato não fornecem muitos motivos para otimismo em relação aos dois anos que faltam. Sem nenhum exagero, o quadro atual é preocupante. Veja-se, por exemplo, a situação do emprego. No trimestre terminado em agosto, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua registrou taxa de desemprego de 14,4%, o pior porcentual da série histórica, iniciada em 2012.”

O “labirinto tributário” em que as empresas brasileiras estão metidas é tema de segundo editorial. “Entre janeiro e setembro de 2020, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou 37 recursos em matéria de direito tributário, dos quais 31 foram decididos em favor da Fazenda Nacional. O número de causas tributárias julgadas nesses nove meses foi maior do que o da soma dos três últimos anos. Com as 31 decisões favoráveis à União, a Corte evitou uma saída estimada em R$ 500 bilhões do Tesouro Nacional, num período de escassez de recursos fiscais.”

O crescimento da educação à distância também é debatida pelo jornal. “Ainda que em termos quantitativos o aumento do número de universitários seja uma informação importante, do ponto de vista qualitativo ele tem de ser visto com cuidado. Entre outros motivos, porque o Censo detectou que, de dez alunos que ingressaram no primeiro ano do ensino superior em 2019, quatro optaram por se matricular em cursos de graduação a distância. “

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão