Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: o que dizem os editoriais

Equipe BR Político

O editorial do Estadão nesta terça-feira, 11, fala da importância de se domar o dragão da dívida pública, passo indispensável para o Brasil recobrar o selo de bom pagador, perdido em 2015. “Mesmo com os preços em ritmo ainda moderado, as projeções do mercado apontam juros básicos mais altos a partir de 2021. Mas o cenário inclui melhora progressiva das contas públicas. O saldo primário, calculado sem os juros pagos pelo governo, deverá tornar-se positivo em 2023. A partir daí o controle do endividamento será mais efetivo, porque o governo disporá de dinheiro para liquidar parte dos compromissos vencidos.”

Em outro texto, discorre sobre como o País vem perdendo a corrida educacional. “Na Região Sul, a segunda mais desenvolvida do País, 70,6% dos professores de ensino médio têm bacharelado e licenciatura nas áreas que lecionam. Mas na região apontada pelo Censo Escolar como a mais crítica, a Centro-Oeste, apenas 50,7% dos professores de ensino médio e 50,2% do ensino fundamental II têm a formação apropriada nas disciplinas sob sua responsabilidade. Na Região Nordeste, o índice é de 53,9%. Nesta região, 8,9% dos docentes não têm nem graduação nem licenciatura na disciplina que ensinam. No ensino fundamental I, a situação é ainda mais preocupante, uma vez que 26,9% dos docentes não fizeram curso superior.”

Também analisa o retrocesso da democracia no mundo em 2019, segundo o recente Índice de Democracia elaborado pela Economist Intelligence Unit, braço de pesquisas do grupo que edita a revista britânica The Economist. “Embora o trabalho da Economist Intelligence Unit admita que “não há consenso sobre como medir democracia”, o que é óbvio, os pesquisadores acertam ao considerar que “a democracia pode ser vista como um conjunto de práticas e princípios que institucionalizam e, portanto, protegem a liberdade, o que “pressupõe igualdade perante a lei, respeito ao devido processo legal e pluralismo político”. Se algumas dessas características estiver ausente ou sob risco de deterioração, a democracia está “falha”.”

Tudo o que sabemos sobre:

democraciadívida públicaeducação