Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: o que dizem os editoriais

Equipe BR Político

No principal editorial desta quarta-feira, o Estadão discorre sobre o aumento da fila do Bolsa Família no governo Jair Bolsonaro. “Milhões de pobres foram deixados sem assistência, no meio de uma economia frágil e com alto desemprego, enquanto se estudava a mudança do mais importante programa de ajuda social? Quem pode ter tido essa ideia quase inacreditável?”, questiona o texto, a respeito da explicação do governo para o cancelamento de benefícios enquanto se verificam suspeitas de fraude no sistema.

“Em grande parte do Brasil os piores efeitos da recessão persistiram, e provavelmente se agravaram, mesmo depois da retomada do crescimento em 2017. O desemprego permaneceu muito alto, apesar de alguma redução, e as perspectivas continuaram muito ruins principalmente para os trabalhadores menos qualificados. Nada poderia justificar o abandono dessas pessoas, especialmente numa fase de atividade ainda fraca e de perspectivas modestas de crescimento”, defende o editorial.

O segundo editorial do jornal trata dos benefícios concedidos pela Assembleia Legislativa de São Paulo a servidores, inclusive inativos, que recebem bônus de desempenho. “As perversões sistêmicas do funcionalismo, em que pese a probidade pessoal de boa parte, plausivelmente a maioria dos servidores, transformam o Estado numa máquina de produzir ineficiência, concentração de renda e insustentabilidade fiscal”, diz o texto.