Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: o que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Os ataques do presidente Jair Bolsonaro à imprensa são novamente destaque de editorial do Estadão. Em especial desta vez, as ofensas contra a editora do BRPolítico Vera Magalhães. “Não se pode tratar tal situação como um simples caso de falta de educação nem se pode considerar natural que um presidente inspire no País um comportamento tão nocivo, especialmente em relação à imprensa e a seus profissionais. A intimidação e o constrangimento de jornalistas é passo fundamental para a degradação da democracia, o que só interessa aos que pretendem governar sem oposição e sem contestação, consolidando como verdade absoluta apenas a versão oficial dos fatos.”

O tema que gerou as ofensas, a convocação para aliados participarem de manifestação contra o Congresso, é tema de outro editorial publicado pelo jornal. “É sintomático que bolsonaristas e petistas, quase ao mesmo tempo, estejam conclamando o “povo” a sair às ruas. Desde a campanha eleitoral de 2018, essas facções lutam para sequestrar o debate político do País e mantê-lo refém do radicalismo e do tumulto, de onde esperam extrair dividendos eleitoreiros. A nenhum deles interessa a estabilidade, e sim a crise permanente: aos petistas, porque um eventual colapso da economia causado pela inépcia política do governo pode despertar o sebastianismo lulopetista; aos bolsonaristas, porque os entraves no Congresso, que tendem a crescer graças ao comportamento errático do Executivo, serão interpretados como sabotagem de políticos que estariam interessados em impedir o presidente Jair Bolsonaro de governar.”

O último editorial desta quinta-feira elogia a iniciativa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) de inaugurar um centro de estudos com o foco no controle biológico de pragas. “Neste momento em que o Brasil não aparece com relevância em nenhuma das áreas-chave da chamada indústria 4.0, em que a produção é fortemente automatizada e ligada à internet, a Fapesp é uma ilha de responsabilidade e eficiência. Ao contrário do que infelizmente vem ocorrendo em outras agências de fomento à pesquisa, ela está imune às ameaças que pesam sobre o trabalho científico, como interferências políticas, enviesamento ideológico e orientações religiosas.”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão