Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: o que dizem os editoriais

Equipe BR Político

O Estadão desta quinta-feira, 19, elogia a postura do governo de priorizar as vidas dos brasileiros diante da pandemia de coronavírus ao ajuste fiscal. “O ajuste fiscal é uma evidente necessidade do País. No entanto, diante da pandemia do novo coronavírus, o reequilíbrio das contas públicas deixa de ser prioridade absoluta. A urgência agora é salvar vidas e prover todas as condições possíveis para que a economia seja afetada o menos possível. “O decreto de calamidade pública por conta da covid-19 (…) é uma medida importante para a flexibilização de mais recursos para o atendimento à nossa população”, disse o presidente do Senado, Davi Alcolumbre.”

Entretanto, graças a postura do presidente Jair Bolsonaro, o jornal também faz críticas à condução da crise. E ressalta que os “panelaços” são prova de que a população não está satisfeita com o atual ocupante do Palácio do Planalto. “Até aqui, Bolsonaro viveu de inventar crises. Na primeira crise real de seu governo, mostrou do que é feito”, ressume o editorial.

No terceiro texto opinativo, o Estadão trata das medidas do STF  diante de um caso em que obrigou o governo estadual a fornecer remédios de alto custo fora da lista do Sistema Único de Saúde (SUS) a uma paciente cardiopata sem condições financeiras. “Neste momento em que o poder público atravessa uma grave crise fiscal e o País enfrenta uma das piores epidemias de sua história, com muitas consequências ainda não de todo mapeadas pelos sanitaristas, a decisão do STF é oportuna.”

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão