Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: o que dizem os editoriais

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O editorial do Estadão desta quarta, 8, fala do papel de “gerente” do governo assumido pelo ministro Braga Netto. “Ao desestimular a demissão do ministro Mandetta, o general Braga Netto e outros que nisso se empenharam provavelmente atuaram pela lógica segundo a qual essa atitude intempestiva minaria o governo a ponto de ameaçar sua própria continuidade. É justamente esse clima de confronto e até de ruptura que interessa muito aos fanáticos do “gabinete do ódio”, que apostam no caos, mas não interessa nada ao País, que precisa desesperadamente de tranquilidade política para atravessar a tormenta.”

Também aborda o recente relatório lançado pelo movimento Todos pela Educação. “Entre os avanços identificados pela pesquisa, merecem destaque a aprovação, pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), das novas diretrizes curriculares nacionais para a formação inicial de professores; a preparação de novos currículos da educação infantil e do ensino fundamental com base na BNCC; o aumento do número de escolas de ensino médio em tempo integral, por iniciativa dos governos estaduais; e o estímulo para que os Estados sigam o exemplo da bem-sucedida experiência posta em prática no Ceará no campo da alfabetização. Além disso, o relatório destaca a apresentação do projeto de lei que institui o Sistema Nacional de Educação, que define as responsabilidades de cada ente da Federação em matéria de ensino.”

Em outro texto, analisa a extensão dos danos econômicos da pandemia em março. “No fim da primeira quinzena, as vendas acumuladas no ano pelas montadoras de veículos eram 9% maiores que as de igual período de 2019. No fim de março o total acumulado era 8% menor que o de um ano antes. Não há, no entanto, saída rápida e fácil. Qualquer tentativa de reanimar a economia sacrificando vidas resultará em fracasso econômico, além de configurar, é claro, uma criminosa inconsequência.”

Tudo o que sabemos sobre:

pandemia