Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BRP Recomenda: Pressão por gastos

Vera Magalhães

Os jornais desta quarta-feira discutem, em artigos e reportagens, o custo do reajuste do salário mínimo para recompor integralmente a inflação, prometido por Jair Bolsonaro e Paulo Guedes, e de outras medidas estudadas pelo governo neste início de ano.

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Falei a esse respeito na minha coluna no Estadão, estendendo tema que já venho tratando aqui no BRP desde o início da semana. Jair Bolsonaro começa o ano tentado a conceder benefícios de forma indiscriminada. Um dos focos são os evangélicos, que ajudam o presidente a coletar assinaturas para a criação da Aliança pelo Brasil. Caberá a Guedes assinar os cheques e convencer o presidente que dinheiro não dá em árvores.

Reportagem da Folha mostra que a Instituição Fiscal Independente calcula em até R$ 3,3 bilhões — R$ 1 bilhão a mais que a estimativa do governo– o custo para o reajuste do mínimo para R$ 1.045. O governo deve enviar nova medida provisória sobre o tema, substituindo a que previa o valor de R$ 1.039.

Ainda no tópico da pressão por mais gastos públicos neste início de ano, o Valor traz uma entrevista com o secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues, que diz que não há espaço no Orçamento para reajuste do funcionalismo público em 2020.