Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

BTG Pactual é alvo de operação da PF

Equipe BR Político

O Banco BTG Pactual está na mira de uma operação conjunta do Ministério Público Federal em São Paulo (MPF-SP) e da Polícia Federal para investigar possíveis vazamentos de informações sigilosas do Comitê de Política Monetária (Copom), ocorridos entre 2010 e 2012, durante os governos Lula e Dilma.

Mesas de operação do banco BTG Pactual

Mesas de operação do banco BTG Pactual. Foto: NYT

O Copom é o órgão responsável por decidir sobre alterações na Selic, a taxa básica de juros no País. A operação, nomeada de “Estrela Cadente”, foi deflagrada a partir de delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci. Ele afirma que o acionista do BTG André Esteves recebeu informações privilegiadas do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega a respeito de alterações na taxa Selic, para obter  lucros indevidos.

Segundo o Broadcast Político, Palocci dá detalhes do suposto esquema no anexo 9 de sua delação. Ele afirma que, em agosto de 2011, Mantega teria participado de uma reunião com o então presidente do BC, Alexandre Tombini, e a ex-presidente Dilma Rousseff, para informar a posição do BC em reduzir, pela primeira vez em dois anos, a taxa Selic. Mantega então teria repassado a informação privilegiada para André Esteves, que realizou operações em favor do Fundo Bintang, administrado pelo BTG. O ex-ministro afirma que o patrimônio do fundo cresceu de R$ 20 milhões para R$ 38 milhões em menos de três meses.

Não é a primeira vez que o BTG é alvo de operações do tipo: em agosto, a Lava Jato já havia feito buscas em endereços ligados ao banqueiro Esteves, a partir de denúncias de Palocci. Na manhã desta quinta-feira, 3, as ações da empresa caíram 9%, informa o Estadão. Em nota à imprensa, o Banco Central afirmou que não foi informado da operação, mas não deu maiores detalhes sobre o posicionamento do BC frente ao caso.

 

Tudo o que sabemos sobre:

CopomBTG Pactualcorrupção