Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Cabral diz que pagou R$ 2 mi por Olimpíada no Rio

Equipe BR Político

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral afirmou nesta quinta-feira, 4, à Justiça Federal no Rio que comprou por US$ 2 milhões os votos de nove integrantes do Comitê Olímpico Internacional (COI) para garantir que o Rio de Janeiro fosse escolhido sede da Olimpíada de 2016. A escolha ocorreu em Copenhague, na Dinamarca, em 2 de outubro de 2009. A votação ocorreu em três turnos. No primeiro, Madri teve 28 votos, o Rio recebeu 26 e Tóquio, 22. Chicago ficou em último, com 18, e foi eliminada. Cabral está preso desde novembro de 2016 e já condenado a 198 anos e seis meses de prisão.

Em teoria, sem os nove votos comprados, o Rio teria 17 e ficaria em último, sendo eliminado. Cabral é um dos réus em uma ação que tramita na 7.ª Vara Federal Criminal, no Rio, e investiga a compra de votos para eleger o Rio sede da Olimpíada. A investigação teve origem na Operação Unfair Play, que em outubro de 2017 prendeu o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, e Leonardo Gryner, ex-diretor de marketing do COB e de comunicação e marketing do Comitê Rio-2016.Em depoimentos anteriores, Cabral havia negado a compra de votos, mas em dezembro passado mudou de advogado e em fevereiro passou a admitir outras acusações de que foi alvo.

Tudo o que sabemos sobre:

OlímpiadaRio de JaneiroSérgio Cabral