Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Cabral não consegue vaga de emprego no Bangu 8

Equipe BR Político

No último dia 2 deste mês, o ex-governador Sérgio Cabral (MDB-RJ), tentou novamente uma vaga para trabalhar na Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira, conhecida como Bangu 8. Mas, mais uma vez, o político não foi escolhido para nenhuma das vagas disponíveis. A defesa do ex-governador faz, mensalmente, desde junho do ano passado, pedidos à administração do presídio, solicitando que Cabral consiga “atividade laboral voluntária e não remunerada”.
As vagas para detentos nos presídios do Rio são para trabalhar em funções como limpeza da unidade, distribuição de comida a presos ou bibliotecário.

Segundo a advogada Patricia Proetti Esteves, que defende Cabral, o ex-governador está disposto a desempenhar qualquer uma dessas funções, informou o Extra. O objetivo do ex-governador é reduzir ao máximo a sua condenação, que já soma 198 anos de prisão. A Lei de Execução Penal possibilita uma diminuição de um dia de pena a cada três de trabalho ou 12 horas de estudos. Ainda com objetivo de diminuir o tempo que ficará atrás das grades, Cabral está cursando faculdade de Teologia a distância.