Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Câmara de São Paulo deve eleger vereadores-celebridade

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

A eleição do próximo dia 15 de novembro deve trazer celebridades de fora da política à Câmara Municipal de São Paulo. O perfil, no entanto, não deve ser tão alterado, seguindo a tendência de 2016. Dos 55 parlamentares municipais, 19 buscam a reeleição. Se o cenário se confirmar, o quadro de partidos na Casa deve se manter favorável ao atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), que lidera a corrida pela reeleição.

A possível novidade, que já é aguardada pelos partidos, é a eleição de nomes famosos fora da política. Entre eles, por exemplo, estão os ex-atletas olímpicos Maurren Maggi (DEM) e Diego Hypólito (PSB). Além do ator Thammy Miranda (PL), do empresário conhecido como Turco Louco (PSDB) e de Dedé (PTC), dos Trapalhões.

Dedé Santana. Foto: Wilton Júnior/Estadão

O número de candidatos a vereador em São Paulo neste ano é o maior desde as eleições de 2008, quando os dados passaram as estar disponíveis integralmente pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Foram 1.996 pedidos registrados (considerando apenas os aptos), um aumento de 51,8% em relação a 2016, quando 1.227 candidatos pediram registro e estavam aptos a concorrer.

Atualmente, o quadro do Legislativo municipal por partidos está assim: PSDB (12); PT (9); DEM (6); Republicanos (4); PL (4); PSB (3); PSD (3); Podemos (2); Cidadania (2); MDB (2); PSOL (2); PTB (1); PSL (1); PSC (1); Novo (1); Patriota (1). A outra vaga está sem partido, pertence ao vereador Gilberto Natalini, que foi eleito pelo PV.

Questionados pelo BR Político sobre a previsão que têm para a eleição deste ano, os partidos se mostram confiantes e indicam que acreditam na possibilidade de eleger mais nomes do que têm atualmente.

Os tucanos apostam que vão conquistar 14 cadeiras; o Republicanos projeta de 5 a 7 vagas; PTB e Podemos sonham eleger 5 vereadores cada; PSD e PSOL projetam um número entre 4 a 5 cada um; MDB aposta em 3 cadeiras; o Novo e o PL informaram não possuir esses cálculos. Os demais partidos não responderam até o fechamento da reportagem. Cada partido pode lançar uma chapa de candidatos de até 84 nomes.

Coligações

Com 11 partidos, incluindo o PSDB, a coligação da qual o prefeito de São Paulo faz parte terá 765 candidatos a vereadores concorrendo.

A segunda maior coligação, do ex-governador Márcio França (PSB), tem cinco partidos e 378 postulantes ao Legislativo municipal.

O segundo colocado nas pesquisas à Prefeitura, Celso Russomanno tem em sua coligação o seu partido, Republicanos, e o PTB, que juntos somam 166 candidatos registrados.

Terceiro candidato mais bem colocado na disputa majoritária, Guilherme Boulos tem PSOL, PCB e UP em sua coligação. No total, 72 candidatos a vereador concorrem pela coligação.

Perfil dos candidatos

De acordo com dados do TSE, o perfil médio do candidato a vereador em São Paulo é composto por homem, branco, com idade entre 40 e 59 anos. A profissão declarada mais frequente entre os postulantes é a de empresário.

O grau de escolaridade, também representa uma característica marcante, com 51,7% dos concorrentes possuindo curso superior completo. Pela declaração, candidatas e candidatos casados também são maioria, sendo 42,5% dos declarantes; seguidos de solteiros (39,9%) e divorciados (14%).