Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Camilo Santana nega ‘acordo’ com PMs amotinados

Gustavo Zucchi

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), negou que esteja firmando uma espécie “acordo” com os PMs amotinados pelo fim da greve. Circula na internet a informação de que o petista teria aceitado uma espécie de “aposta” com a categoria: o senador Cid Gomes, que foi baleado ao confrontar os PMs, teria de se submeter a exames feito por oficiais das Forças Armadas. Caso não fosse constatado ferimentos provenientes de uma arma de fogo, Santana teria de acatar todas as exigências da categoria. Caso contrário, seriam os amotinados que aceitariam a proposta do governador.

Ao BRP, a equipe de Santana afirmou que essa possibilidade é “fake news”. Acrescentam ainda que qualquer possibilidade de anistia aos policiais rebeldes está fora de cogitação e que os envolvidos no motim estão sendo identificados, afastados, tendo o salário cortado e responderão ao devido processo legal. Alegam ainda que toda a motivação da greve é política, tentando atrapalhar o bom momento da Segurança Pública no Estado. Segundo dados do governo do Ceará, os gastos com pessoal da Secretaria de Segurança Pública cresceram 86,5% entre 2014 e 2019, com aumento salarial substancial para todas as carreiras.

Tudo o que sabemos sobre:

Camilo SantanapmCeará