Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

STF sob pressão de grupo de caminhoneiro pró-intervenção

Equipe BR Político

Favorável à intervenção militar, o caminhoneiro Ramiro Cruz Jr. é um dos articuladores de pressões sobre ministros do Supremo Tribunal Federal para que mantenham o entendimento de que condenados sejam presos após decisão da Justiça de segunda instância. Segundo noticia o Estadão, as intimidações mais agressivas vêm desses caminhoneiros bolsonaristas com ameaças de greve caso o ex-presidente Lula saia da cadeia. Ramiro Jr. foi candidato a deputado federal, mas não se elegeu após fazer campanha pela volta dos militares à Presidência na greve de maio de 2018.

Dias Toffoli e ministros do Supremo Tribunal Federal chegam para sessão no plenário

Dias Toffoli e ministros do Supremo. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Um dos líderes da paralisação do ano passado, o presidente da Cooperativa dos Transportadores Autônomos do Brasil (BrasCoop), Wallace Landim, o “Chorão”, não é a favor de misturar a pauta política com as reivindicações da categoria. “A questão de paralisar a categoria toda para reivindicar uma pauta de STF eu não faço isso. Se precisar mobilizar para pauta da categoria, sou o primeiro a chamar. Pauta que não é da categoria eu não me envolvo”, afirmou. 

De acordo com a assessoria do STF, as ameaças “que se mostrarem violentas serão enviadas para o âmbito do inquérito conduzido pelo ministro Alexandre de Moraes”, que cuida de investigação sobre ofensas e fake news contra integrantes da Corte. Só no gabinete do ministro Luís Roberto Barroso, foram mais de 2 mil telefonemas e 4,5 mil e-mails na semana passada.