Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Capitão Augusto: ‘Com 100 dias, já se tornou irreversível’

Equipe BR Político

O deputado Capitão Augusto Rosa (PR-SP), presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública, avalia, em entrevista ao Valor, que o presidente Jair Bolsonaro pode não concluir seu mandato. O líder da bancada da bala, como é conhecida a frente parlamentar, diz que o relacionamento entre Executivo e Legislativo está “muito, muito ruim”. “De cada 10 deputados, oito reclamam e dois ficam quietinhos. Ninguém defende o governo”, afirma. Segundo ele, caso a situação econômica piore, existe um risco real de impeachment do presidente. “O bombeiro fala que o ambiente está gasado (com gás), falta só a faísca para explodir. Ambiente gasado tem insatisfação política e insatisfação popular. A insatisfação política já está instalada, a olhos vistos”, compara.

O deputado, que renunciou ao cargo de vice-líder do governo, avalia que o presidente e sua equipe erraram na distribuição de cargos, que deveria incluir parlamentares de outros partidos além do PSL, sigla de Bolsonaro. Os ministros, incluindo o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, não dialogam o bastante com o Congresso, critica. “O que poderia melhorar a situação seria o Bolsonaro encampar o que a gente falava na pré-campanha: acabar com a reeleição”, sugere. Para o deputado, a relação tornou-se tão desgastada que, mesmo caso o governo oferecesse cargos em troca de apoio, os parlamentares não aceitariam. “Com 100 dias, (o desgaste) já se tornou irreversível”.