por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Carlos celebra negativa a novos anistiados

Equipe BR Político

No mesmo momento em que a ditadura militar voltou à pauta por conta de declarações do presidente e da troca de quatro membros da Comissão de Mortos e Desaparecidos Políticos na última semana, nesta terça-feira, 6, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, celebrou a decisão da ministra Damares Alves, da pasta da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, de não conceder pedidos de reconhecimento de anistia a 1.381 pessoas. As rejeições de reconhecimento de anistiados políticos aconteceram entre os meses de março e julho deste ano. O balanço da pasta foi divulgado no último dia 29 de julho. No total, o ministério concedeu 26 pedidos, todos por decisão da Justiça.

No Twitter, Carlos comentou a decisão e relacionou as indenizações a uso indevido de verba pública. “São quase R$10bi do dinheiro público usados para pagamento de ‘anistiados políticos’, sendo cerca de 10.000 beneficiados. No primeiro momento, a Ministra de Direitos Humanos, zelando pelo erário rejeitou 100 pedidos de novas ‘indenizações’ e desta vez foram mais 1.300 negados!”, escreveu o filho do presidente. O comentário de Carlos foi acompanhado de um comentário atribuído a Damares. “Nossas prioridades consistem na justiça, transparência e combate à corrupção. Ressalto que os benefícios devem ser entregues a quem realmente tem direito, de forma a evitar o uso indevido dos recursos públicos”.