Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Cármen dá 48 horas para Ramagem e Heleno explicarem ‘ajuda’ para Flávio Bolsonaro

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A ministra Cármen Lúcia deu um prazo de 48 horas para receber uma explicação sobre uma “ajuda” dada pelos órgãos de investigação brasileiros para o senador Flávio Bolsonaro. Tanto o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, quanto o diretor da Abin, Alexandre Ramagem, terão de dar informações sobre os relatórios elaborados que auxiliariam a defesa do filho do presidente no caso das “rachadinhas” em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio.

“Para apreciar os pedidos apresentados pela autora são necessárias informações do Diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência e do Ministro do Gabinete de Segurança Institucional sobre o alegado na petição”, disse Cármen em sua decisão.

Uma reportagem da revista Época publicada na última sexta-feira, 11, revela que a Abin, comandada por Ramagem, produziu dois relatórios sobre uma “organizção criminosa na Receita Federal”. Um dos documentos teria a finalidade descrita de “defender FB no caso Alerj”. Servidores citados no documento com sugestões da agência foram exonerados posteriormente.