Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Cenas do Rio não condizem com momento do País

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

Na mesma data em que o Brasil superou a triste marca de 1,5 milhões de infectados pelo novo coronavírus e de 62 mil mortos, na noite de quinta-feira, 2, bares e calçadas ficaram lotadas no Rio de Janeiro, por conta da autorização de reabertura parcial dada pelo prefeito Marcelo Crivella (PRB).

Primeira noite de reabertura de bares e restaurantes no Rio causou grande aglomeração

Primeira noite de reabertura de bares e restaurantes no Rio causou grande aglomeração Foto: Reprodução/Twitter

As cenas que se viram na capital fluminense não condizem em nada com o momento vivido pelo País, que ainda não atingiu o pico da pandemia e acompanha o avanço desenfreado do vírus pelo interior do Brasil.

Faltou responsabilidade por parte dos clientes, faltou os donos dos estabelecimentos cumprirem com as regras previstas para a reabertura, como cumprimento de horário e faltou fiscalização por parte do poder público. Todos os envolvidos falharam. E todos pagaremos, inclusive, aqueles que há mais de 100 dias estão cumprindo com o distanciamento social.

Aglomerações, pessoas sem máscara e o descumprimento das orientações de isolamento mostram que ainda estamos longe de superar a covid-19, já que a própria população não se mostra responsável e disposta a cumprir cuidados básicos.

A primeira noite do Rio na nova fase de flexibilização acende o alerta para a Capital paulista: na próxima segunda-feira, 6, é a vez de São Paulo ver a reestreia de bares e restaurantes.