Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Centrais sindicais ficam sem R$ 465 mi

José Fucs

As sete maiores centrais sindicais do País, entre elas a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Força Sindical e a União Geral dos Trabalhadores (UGT), vão deixar de receber do governo até R$ 465 milhões, segundo reportagem publicada pelo Globo. O cancelamento do repasse, oficializado na quarta-feira, 6, é decorrente da extinção de um acordo firmado entre as centrais, o Ministério do Trabalho e a Caixa, intermediado procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Fleury.

O próprio Fleury tomou a decisão de extinguir o acordo depois que uma auditoria do Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União (CGU) apontou diversos riscos, como a falta de critérios para definir os valores do repasse e a falta de análise do impacto no Tesouro. “O Ministério Público do Trabalho não pode participar de qualquer ato que possa onerar indevidamente os cofres públicos”, afirma Fleury, no termo de encerramento do acordo. / J.F.

 

Tudo o que sabemos sobre:

sindicatosCGUMPTRonaldo Fleury