Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Chefe da PF no Amazonas foi sondado, em 2018, para ser ministro do Meio Ambiente

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

No seu depoimento para o inquérito que investiga as acusações feitas por Sérgio Moro contra Jair Bolsonaro, o superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Alexandre Saraiva, revelou que chegou a ser sondado para ser ministro do Meio Ambiente em dezembro de 2018. O delegado prestou depoimento porque chegou a ser citado pelo presidente como um possível nome para comandar a PF no Rio de Janeiro, quando falou publicamente pela primeira vez em mexer nessa superintendência.

Foto: Reprodução/Youtube

O inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal, a pedido da Procuradoria-Geral da República, investiga justamente as acusações que Moro fez contra Bolsonaro sobre uma possível tentativa de interferência no comando geral da PF e na superintendência do Rio.

Saraiva afirmou que recebeu a sondagem para ser ministro em dezembro de 2018 numa conversa com o próprio Jair Bolsonaro, na residência do então presidente eleito. Na época, Bolsonaro estava concluindo a escolha de sua equipe ministerial depois de ganhar as eleições.

A lembrança de Saraiva como uma opção para o cargo pode ter acontecido pelo fato de, na chefia da PF no Amazonas, ter comandado várias operações de combate à crimes contra o meio ambiente e à biopirataria. O delegado cita algumas dessas operações no seu depoimento, como Euterpe, Iscariotes, Arquimedes e Oxóssi. Saraiva não deu maiores detalhes sobre a sondagem para o ministério, mas a conversa acabou não indo adiante, já que Ricardo Salles foi o escolhido para o cargo por Bolsonaro.