Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

China diz que Eduardo coloca em risco ‘relações’ com o Brasil

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

As recentes declarações do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) sobre “espionagem chinesa” na tecnologia 5G irritaram o governo de Pequim. A embaixada do país asiático no Brasil emitiu uma nota no qual diz que a postura do filho de Jair Bolsonaro “solapam a atmosfera amistosa entre os dois países. E afirma que caso contrário irão “arcar com as consequências negativas e carregar a responsabilidade histórica de perturbar a normalidade da parceria China-Brasil”.

“Na contracorrente da opinião pública brasileira, o dep. Eduardo Bolsonaro e algumas personalidades têm produzido uma série de declarações infames que, além de desrespeitarem os fatos da cooperação sino-brasileira e do mútuo benefício que ela propicia solapam a atmosfera amistosa entre os dois países e prejudicam a imagem do Brasil”, afirma a nota.

Mais cedo, Eduardo, que é presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, apagou a postagem na qual comemorava a adesão do Brasil ao programa Clean Network sobre a tecnologia 5G, que viria sem “espionagem da China”. É um discurso que circula entre bolsolavistas na internet, reproduzido da extrema-direita americana, segundo os chineses.

“Certos políticos norte-americanos interferem na construção da rede 5G em outros países e fabricam mentiras sobre uma suposta espionagem cibernética chinesa, além de bloquear a Huawei visando alcançar uma hegemonia digital exclusiva.”

Tudo o que sabemos sobre:

ChinaEduardo BolsonaroTecnologia 5G