Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Cintra: ‘Vamos fazer uma grande faxina no Imposto de Renda’

Marcelo de Moraes

O secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, afirmou hoje que o governo pretende fazer “uma grande faxina no Imposto de Renda”. O secretário participou de um café da manhã organizado pela ABRIG (Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais) para discutir a reforma tributária e a agenda econômica do País. Cintra defendeu a criação de “um novo regime tributário federal”, que incluiria essa “faxina” no Imposto de Renda. “Nós vamos fazer uma grande faxina nele. Para torná-lo compatível com o que está acontecendo no mundo inteiro. Depois que o Trump mexeu no imposto de renda de pessoa jurídica nos Estados Unidos, o mundo inteiro está fazendo. A OCDE inteira está fazendo reformas. As alíquotas, que eram de 30%, 40%, estão todas sendo reduzidas para 20%, 25%. Faremos a mesma coisa. Estamos trabalhando com um patamar de 20%, 25%”, disse. “Vamos adotar medidas de reanálise de uma série de instrumentos, aqueles penduricalhos que foram sendo colocados, às vezes com justificativas plausíveis, mas pontuais. E, quem sabe, já superadas pela realidade do dia a dia. Vamos rever se isso precisa continuar ou não”, contou.

“Eu digo para o ministro Paulo Guedes: ‘Ministro, isso aqui não é reforma do imposto de Renda. Isso aqui é faxina do Imposto de Renda. E é o que nós vamos fazer. Faxina. E vamos fazer com que o nosso Imposto de Renda de Pessoa Física e Jurídica seja compatível com o que está acontecendo no mundo inteiro. Hoje, o Brasil é uma economia que está no raio de visão de todo o mundo. Como receptador de grandes investimentos. Estão faltando algumas pequenas sinalizações para nós vermos aqui uma enxurrada de entrada de capitais. Vamos entrar na OCDE. Isso está no nosso projeto. Precisamos criar um ambiente compatível com esse mundo. Que isso permita nós entrarmos nesse fluxo de grandes receptadores de recursos internacionais em condições competitivas com os outros países”, explicou.

Assine o BR Político para ter acesso a produtos e informações exclusivos. Clique neste link para se tornar um assinante.