Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ciro culpa Bolsonaro por tiros contra Cid

Equipe BR Político

O ex-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) afirmou que a “repressão” é a única saída para resolver o “quadro de anarquia e anomia” instalado no Ceará por conta do motim policial que atinge o Estado. “Infelizmente só há uma saída depois que esse quadro de anarquia e de anomia se instala, que é a repressão. Não tenho nenhuma alegria em dizer isso”, afirmou Ciro, em entrevista coletiva concedida na quinta-feira, 20.

Foto: Andre Penner/AP

O pedetista atribuiu ao presidente Jair Bolsonaro a culpa pelos dois tiros contra seu irmão, o senador licenciado Cid Gomes (PDT-CE). “Isso não está isolado do que etá acontecendo no Brasil. Temos uma destruição do estado de direito no, liderada por um presidente boçal, canalha, de uma família de canalhas. Porque se algum policial apertou o gatilho, ele não faria isso se não fosse esse clima de absoluto desrespeito às regras de convivência democrática, que é absolutamente estimulado pelo presidente Jair Bolsonaro e sua família de canalhas”, afirmou.

Ciro diz que não viu imprudência no ato do irmão, que na última quarta-feira, 19, tentou furar um motim policial em frente a um quartel com uma retroescavadeira. “Antes daquilo, nós temos a filmagem inteira, ele levou um soco no rosto. Tava com um megafone, não tava com arma nenhuma”, disse. O ex-ministro aproveitou a oportunidade para criticar a esquerda. “Se os elegantes da política brasileira, dessa esquerda bandida que infelizmente também existe no Brasil, consideram que faltou elegância. Eu quero saber se eles acham que o fascismo se enfrenta com flores. Nós aqui vamos enfrentar com a arma que for necessária.”

Tudo o que sabemos sobre:

Jair BolsonaroCiro GomesCid Gomestiros