Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Ciumeira de Bolsonaro com Mandetta

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente Jair Bolsonaro não digere bem o protagonismo do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no combate ao coronavírus. As principais publicações do País amanheceram com informações de bastidores da ciumeira, o que poderia explicar a insubordinação do titular do Palácio do Planalto à quarentena que lhe fora imposta por ter mantido contato com infectados. O Estadão conta que a participação do titular da Saúde em evento recente ao lado do governador João Doria (PSDB-SP), adversário de Bolsonaro, na sexta-feira, 13, deflagrou o processo.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e o presidente Jair Bolsonaro

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e o presidente Jair Bolsonaro Foto: Gabriela Biló/Estadão

Em revide, o presidente tem pulado Mandetta em benefício do contra-almirante da reserva Antonio Barra Torres, no comando hoje da Anvisa, a quem recorre primeiro para se informar da pandemia. Foi com ele, inclusive, que Bolsonaro humilhou a equipe de Mandetta ao fazer contato com seus apoiadores na porta do Palácio do Planalto. Neste ano, ele já esteve cinco vezes no gabinete de Bolsonaro para encontros individuais; Mandetta foi apenas duas vezes, conforme a agenda pública.

A revista Veja relata um entrevero que Bolsonaro teria tido com Mandetta sobre o episódio da “traição” com Doria. “O Mandetta, o que você está fazendo aí ao lado desse Doria?”, questionou o presidente em um encontro recente, segundo participantes da agenda. O colunista Lauro Jardim, em O Globo, cita a contrariedade de Bolsonaro com a medida de Mandetta de proibir saída de cruzeiros turísticos do país, batalha esta perdida pelo ministro.