por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

CNBB ataca reforma da Previdência

Equipe BR Político

Por meio de mensagem de seu conselho permanente, a CNBB manifestou praticamente oposição ao a reforma da Previdência enviada pelo governo de Jair Bolsonaro ao Congresso. Na carta, assinada pelo presidente da entidade, Cardeal Sergio da Rocha, pelo vice-presidente Dom Murilo S. R. Krieger e pelo secretário-geral Dom Leonardo Ulrich Steiner, os sacerdotes afirmam que “as mudanças contidas na PEC 06/2019 sacrificam os mais pobres, penalizam as mulheres e os trabalhadores rurais, punem as pessoas com deficiência e geram desânimo quanto à seguridade social”.

Dentre os pontos criticados da proposta enviada pelo governo de Jair Bolsonaro ao Congresso, está na transferência de competências da Constituição para leis complementares. “Consideramos grave o fato de a PEC  transferir da Constituição para leis complementares regras previdenciárias como idades de concessão, carências, formas de cálculo de valores e reajustes, promovendo desconstruções da Constituição”, afirmam. Durante a eleição, a CNBB, apesar de não ter se manifestado formalmente contra Jair Bolsonaro, criticou pontos associados à campanha do atual presidente, como “afirmações que ameaçavam indígenas, quilombolas, pobres e aos direitos humanos”. Agora a entidade pede ao Congresso que “favoreça o debate público sobre esta proposta de reforma da Previdência”.

Notícias relacionadas

Tudo o que sabemos sobre:

CNBBreforma da previdência